quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

O RELATO - 3 DE FEVEREIRO

Segunda-feira, 3 de Fevereiro de 1908
Lisboa – Paço das Necessidades




Continuo atordoado. Quantas saudades do querido Rei e do querido Principe Real. Que horror foi o embalsamamento que só acabou de madrugada. O Principe foi mettido na sua urna, mas a que veio para El-Rei não serviu. Ficou sobre a cama enquanto se não faz outra. Estão os dois corpos no quarto de cama d’El Rei cobertos com a bandeira portugueza. Sempre que posso vou ali rezar pelos dois Martires. Fui almoçar a casa e depois ao consultorio. Ás 4 ½ voltei para aqui.
Jantar ás 8h e depois fui para junto dos mortos queridos.


Thomaz de Mello Breyner - 4º Conde de Mafra





Construção da urna para El-Rei D. Carlos uma vez que Ele não coube na 1ª

2 comentários:

Brancamar disse...

Um texto que demonstra o carácter de amizade e fidelidade de seu bisavô.
Muito interessantes as fotografias que ilustram o texto. Gostei de as ver ampliadas, sobretudo a do jornal "Le Petit Journal",uma imagem forte da dor da Rainha entre os dois corpos dos seu entes queridos.
Até breve José Tomaz.
Vou continuar amanhã.
O cansaço está a chegar pelo adiantado da hora e esta matéria merece ser lida com toda a atenção e lucidez.
Obrigada pelo que nos dá a aprender com este diário.
UM abraço amigo.

Anónimo disse...

Ce texte est poignant, ce crime restera immense et sans justification. Je remercie Dieu de ne pas avoir vecu a cette epoque, pour beaucoup de Portugais comme le comte de Mafra c' a ete un horrible cauchemard. Ce regicide ne me rend pas fier de mes origines portugaises.