terça-feira, 22 de janeiro de 2008

O RELATO - 5 DE FEVEREIRO

Quarta-feira 5 de Fevereiro de 1908
Lisboa – Paço das Necessidades



Ainda não se realizou o grande horror. Pobre Rei e pobre Principe para mim tão queridos.
Logo ás 8h da manhã fui para junto do Novo Rei que vai melhorando do braço, mas lentamente porque a ferida é grande e a contusão enorme.
Fui de tarde a casa e ao consultório. Ás 4h já aqui estava outra vez para fazer companhia ao Reisinho e classificar os milhares de telegramas que Elle recebe.
Jantar ás 8h e depois sala e cavaqueira com as centenas de pessoas que aparecem constantemente. Muito cochichar, muitos segredos, já muitas intrigas. O que virá isto a ser de futuro? Pobre Reisinho! Que saudades do outro Santo Rei e do querido Principe!
Continua bom tempo.


Thomaz de Mello Breyner - 4º Conde de Mafra

1 comentário:

Brancamar disse...

Texto a denotar a movimentação e intriga que se seguem sempre a um problema de sucessão e a preocupação do 4º Conde de Mafra com a vida e o futuro do novo REi.
Sempre a amizade e a lealdade exemplares.